quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Mini Orixá

Escolha seu mini orixá para sua festa.

O tamanho de cada mini orixá é de 6 cm e sua vestimenta é de renda ou de tecido dependendo do orixá, um trabalho delicado e totalmente artesanal.

Todos os orixás são feitos por encomenda com prazo de 15 dias dependo da quantidade desejada.
Para lojistas da Grande São Paulo damos o desconto para quantidades acima de 1.000 e entrega gratuita.



Segue algumas informações sobre as festas de candomblé:

O "ano litúrgico" do candomblé é organizado de acordo com a realização das festas dos orixás. E é assim que se percebe a passagem do ano.
Em janeiro são freqüentes as festas de Oxossi.
Em abril são feitas as festas de Ogum.
Em junho são inúmeras as "Fogueiras (festas) de Xangô. Em agosto acontecem as festas de Obaluaiê, chamadas Olubajés.
Em dezembro são feitas as festas das Iabás (orixás femininos) como Oxum, Iemanjá e Iansã.
Seguindo o preceito do candomblé de que tudo começa por Exu e termina com Oxalá (inclusive o ano), também em dezembro se fazem as festas deste orixá, razão a mais para ser festejado durante este mês

domingo, 2 de março de 2008

LOGUN EDE

Simultaneamente caçador e pescador, Logunedé é o herdeiro dos axés de Oxum e Oxóssi que se fundem e se mesclam como mistério da criação, trata-se de um orixá que une a graça, a meiguice e a faceirice de Oxum à alegria, à expansão de Oxóssi.
Se Oxum confere a Logunedé axés sobre a sexualidade, a maternidade, a pesca e a prosperidade, Oxóssi lhe passa os axés da fartura, da caça, da habilidade, do conhecimento.
Vive seis meses nas matas caçando com Oxóssi e seis meses nos rios pescando com Oxum

OGUM

É o deus do ferro, da guerra e da tecnologia. Patrono dos ferreiros, engenheiros e militares.
Ogum é o Orixá da Lei e seu campo de atuação é a linha divisória entre a razão e a emoção. É o Trono Regente das milícias celestes, guardiãs dos procedimentos dos seres em todos os sentidos.

OXOSSI

Oxossi é o senhor absoluto das florestas, prados e cerrados, matas e campos, onde floresce e reverdece a natureza fecunda, pulmões plenos de terra que tem a virtude de trazer o alimento vital, produto que é da seara: oxigênio puro do ar, além de todos os gases do cosmo.
Frutos sazonados, ervas, folhas, raízes curadoras estão afetas aos Orixá, que assim, fornece a base de todos os medicamentos para a humanidade enferma.

NANÃ

A orixá Nanã rege sobre a maturidade e seu campo preferencial de atuação é o racional dos seres. Atua decantando os seres emocionados e preparando-os para uma nova "vida", já mais equilibrada .
A orixá Nanã Buruquê rege uma dimensão formada por dois elementos, que são: terra e água. Ela é de natureza cósmica pois seu campo preferencial de atuação é o emocional dos seres que, quando recebem suas irradiações, aquietam-se, chegando até a terem suas evoluções paralisadas. E assim permanecem até que tenham passado por uma decantação completa de seus vícios e desequilíbrios mentais.

INHASÃ

Orixá dos ventos e das tempestades.
Ela é ainda conhecida como a guardiã dos mortos (Eguns) ou ainda, a encarregada de recebe-los após a morte nos cemitérios.
Orixá guerreira é força de magia que afasta males e influencias negativas, amparando a todos que a ela recorram. Seu poder vibratório anula cargas de enfeitiçamento, chamados de simbolicamente de tempestades, vencendo nesse sentido demandas e feitiços de qualquer natureza.
Inhansã é um Orixá de temperamento muito forte.

EXU

É o orixá da comunicação. É o guardião das aldeias, cidades, casas e do axé, das coisas que são feitas e do comportamento humano.
Ele é quem deve receber as oferendas em primeiro lugar a fim de assegurar que tudo corra bem e de garantir que sua função de mensageiro entre o Orun e o Aiye, mundo material e espiritual, seja plenamente realizada.
Tem seu estilo irreverente, brincalhão e a forma como é representado no culto africano, um falo humano ereto, simbolizando a fertilidade.
É provocador, indecente, astucioso e sensual.

OXALA

Orixá associado à criação do mundo e da espécie humana. Apresenta-se de duas maneiras: moço – chamado Oxaguiam, e velho – chamado Oxalufam.
Simboliza a paz é o pai maior nas nossas nações na Religião Africana. É calmo, sereno, pacificador, é o criador, portanto respeitado por todos os Orixás e todas as nações. A Oxalá pertence os olhos que vêem tudo.

OMOLU / OBALUAÊ

Um dos mais temidos Orixás, comanda as doenças e, conseqüentemente, a saúde. Assim como sua mãe Nanã, tem profunda relação com a morte.

IEMANJÁ

Deusa da nação de Egbé, nação esta Ioruba onde existe o rio Yemojá (Iemanjá). No Brasil, rainha das águas e mares. Orixá muito respeitada e cultuada é tida como mãe de quase todos os Orixás. Por isso a ela também pertence a fecundidade.
Em todos os lugares, no dia 2 de fevereiro ou no ano novo fazem-se homenagens a grande mãe Iemanjá. É protetora dos pecadores e jangadeiros.

OGUM

É o dono do Obé (faca) por isso vem logo após o Exú porque sem as facas que lhe pertencem não seriam possíveis os sacrifícios. Ogum é o dono das estradas de ferro e dos caminhos. Protege também as portas de entrada das casas e templos. Ogum é protetor dos militares, soldados, ferreiros, trabalhadores e agricultores.

XANGÔ

Orixá temido e respeitado, é viril e violento, porém justiceiro, e muito vaidoso. Xangô era muito atrevido e violento, porém, grande justiceiro, sempre castigando os ladrões e malfeitores.

OXUM

Nome de um rio na Nigéria, em Ijexá e Ijebú. Segunda mulher de Xangô, deusa do ouro, riqueza e do amor. A Oxum pertence o ventre da mulher e ao mesmo tempo controla a fecundidade, por isso as crianças lhe pertencem. Dona dos rios e cachoeiras gosta de usar colares, jóias, tudo relacionado à vaidade, perfumes, etc.